VERSO BÍBLICO
Temam a Deus e louvem a Sua grandeza! Pois já chegou a hora de Deus julgar a humanidade. Adorem Aquele que fez o céu, a terra, o mar e as fontes das águas!” Apocalipse 14:7.


OBJETIVOS
- Diferenciar adoração pública e adoração individual.
- Justificar a adoração a Deus.
- Definir reverência, ordem e alegria na verdadeira adoração a Deus.

 


Veja como são interpretadas certas expressões corporais:


• Mãos sobre a mesa: Dedicado aos negócios. Querendo negociar. “Vamos direto ao assunto.” Demonstração de sinceridade e honestidade (braços abertos, mãos abertas e palmas para cima).


• Mãos juntas sobre o colo ou estômago: Um gesto de proteção.


• Mãos nos quadris: Provocativo ou duro. Entretido ou ansioso para entrar no assunto principal. Esse gesto também pode indicar antagonismo ou desafio.


• Mãos nos bolsos: Estar em contato com o próprio corpo. Ter as mãos enfiadas num pequeno vão é reconfortador. Busca de equilíbrio frente a uma possível insegurança.


• Assumindo o controle: A palma da mão voltada diretamente para o chão Quando você diz, corporalmente, à outra pessoa, que deseja assumir o controle no encontro que se seguirá. Não é necessário que a palma da mão esteja voltada diretamente para o chão, mas ela deve estar inclinada em relação à palma da mão da outra pessoa.

 

• O igual: Aperto de mão firme, com as duas palmas permanecendo na posição vertical, cada uma das pessoas transmitindo sentimento de respeito e harmonia à outra.


• O toque do nariz: Controlando um pensamento negativo ou uma mentira. Pode ser uma ligeira esfregada ou um toque rápido e quase imperceptível. A mentira causa formigamento nos delicados terminais nervosos do nariz, provocando o toque no nariz.


• Esfregar o olho: Tentativa de bloquear a falsidade, dúvida ou mentira que vê, ou evitar olhar o rosto da pessoa para quem está contando a mentira. Neste último caso, olha-se para o lado ou para o chão.


• Esfregar a orelha: Tentativa do ouvinte de bloquear as palavras ouvidas, colocando a mão ao redor e sobre a orelha. Variações: esfregar a parte de trás da orelha, o dedo indicador puxando o lóbulo da orelha ou dobrando-a para frente.


• Tomada de decisão: O gesto de esfregar o queixo é um sinal de que o ouvinte está tomando uma decisão.


• Braços cruzados na frente do corpo: Indicam uma variedade de significados, dependendo da situação. Pode ser uma forma de se resguardar, de se proteger ou de mostrar medo, timidez, força ou poder (uma fortaleza). Como também uma pessoa com os braços cruzados pode, simplesmente, ser fria. De uma forma geral demonstra uma posição defensiva.


• Mãos fechadas demonstram atitude hostil: Se além dos braços cruzados, a pessoa também fechar as mãos, isso indica uma atitude hostil e defensiva, uma posição de ataque.



 

 

• Gesto padrão de pernas cruzadas: Pode indicar uma postura nervosa, reservada ou defensiva. Em geral, é um gesto de apoio que ocorre junto com outros sinais negativos, e não devem ser interpretados isoladamente ou fora do contexto.


• Perna cruzada e presa: Sinal de uma pessoa perspicaz obstinada, com uma postura dura e firme, enquanto argumenta ou debate. Sua resistência provavelmente só será quebrada através de uma aproximação especial.


• Inclinar-se para a frente ou recostar-se na cadeira: Aproximar o corpo pode significar um gesto de amizade ou interesse (“Fale-me mais”). Encostar-se na cadeira indica urna diminuição de interesse (“Deixe-me pensar no que você acaba de dizer”) ou até de indiferença.


• Tenho todas as respostas, mas também quero argumentar: O gesto de ambas as mãos atrás da cabeça é típico das pessoas que se sentem confiantes ou superiores. Muitas pessoas ficam irritadas quando alguém se dirige a elas com essa postura. As pernas cruzadas representam a posição de competição ou de querer argumentar idéias.


• Gestos cruzados: De qualquer tipo, braços ou pernas, é sempre um gesto de confinamento, de proteção, um modo de fechar o circuito e bloquear a comunicação.


• Gestos vagarosos e deliberados: Essa pessoa está se acalmando, controlando as idéias antes de atacar um ponto com firmeza. É um planejador.


• Falta de movimento: Uma pessoa que mantém o corpo imóvel procura se internar em si mesma, esperando que ninguém repare nela, ou também pode estar ouvindo ou planejando silenciosamente. Pode ainda estar cauteloso ou de olho no cargo que você ocupa. Essa pessoa precisa ser olhada com cuidado.


• Gestos abertos e fechados: Geralmente os gestos abertos são confiantes, enquanto os fechados indicam corte e retraimento.


• Virar de frente e virar de costas: Mesmo que apenas uma parte do corpo, os ombros por exemplo, vire para você, significa que você está sendo incluído na conversa ou na situação. No entanto, se a pessoa lhe voltar as costas, indica exclusão.


• Erguer a cabeça: Manter a cabeça erguida é um sinal de interesse, de estar aberto e receptivo à opinião dos outros.


• Ilustrar com objetos ou com o corpo: Se alguém usa objetos sobre a mesa para sublinhar alguma coisa que está dizendo, é do tipo expansivo e sabe o que quer, mesmo que tente não se envolver muito. Essas pessoas são realistas, não são sonhadoras. Se usam os dedos e as mãos para ilustrar, estão próximas das idéias, alimentando-as, acalentando-as e tentando tocá-las. Possuem um modo bem pessoal de ver as coisas.


• Encostar-se em alguma coisa: Essa pessoa precisa de contato com seu ambiente e sente conforto em estar com outras pessoas.


• Evitar troca de olhares: As pessoas que reagem desta forma são inseguras de si mesmas e estão com medo de você.

 

A análise acima foi feita para  o caso de entrevistas de emprego, mas e quanto à minha postura dentro da igreja????


 

 O corpo fala. Através das expressões corporais, revelamos coisas interessantes.

Como revelamos o que estamos sentindo através de nossa postura no culto.

Por exemplo: O que dizemos quando nos ajoelhamos?

Quando sentamos relaxadamente no banco?

Quando cruzamos os braços durante o sermão?

Quando mascamos chiclete?

 

Pense bem e, se for o caso, mude sua atitude já! Ótimo dia, com a “postura correta”. Com amor, Tia Célia